SPIL Program

Programa de autodesenvolvimento para líderes com o objectivo de criar uma cultura de autenticidade nas equipas e nas organizações.


O papel do lider como agente do desenvolvimento da cultura na organização

Na contemporaneidade o tema da liderança tem sido um dos aspetos mais debatidos e trabalhados nas organizações. Desde o desenvolvimento de lideranças baseadas em estilos específicos, passando por tipos de líderes, as competências necessárias à liderança têm sido repensadas e trabalhadas de forma permanente, nos últimos anos, muitas das vezes associando estas a tendências e modelos que nem sempre se enquadram na realidade das organizações, das equipas e do próprio líder.

Qual é então o papel do líder? Que competências são necessárias à liderança? Que ação tem um líder no desenvolvimento da cultura de uma organização? Qual o impacto do seu estilo de liderança? São muitas as questões que continuam sem respostas conclusivas, talvez porque a liderança seja também um processo contínuo, vivo, que se ajusta, molda e se reinventa permanentemente. Mais do que dominar competências base, o líder tem de ir mais longe na sua ação. Tem que questionar e questionar-se. Tem que ter ativo um processo de autoconsciência para conseguir o seu autodesenvolvimento e construir uma cultura à sua volta.

É neste contexto que surge o programa SPIL. O repensar destas questões sobre uma abordagem diferenciadora – as vulnerabilidades – cria uma perspectiva diferenciadora e enriquecedora na forma como o líder pode desenvolver-se, desenvolver a equipa e criar uma cultura de autenticidade contagiando a restante organização. O SPIL não trabalha as competências base necessárias à liderança, mas sim os estímulos que podem ser dados para este efeito. Pretende criar uma liderança em que não se direciona, não se impõe, não se pressiona…mas sim, estimula-se! Procura conhecer, compreender e facilitar os estímulos que a equipa precisa para ir mais além no seu desenvolvimento e nos resultados da organização a vários níveis.

O programa SPIL

Desenvolve-se em três fases:

1. Selfie Report: momento prévio ao programa em que é feito o diagnóstico com base nas vulnerabilidades a cada participante para a sua integração no SPIL.

2. Deep Program: in (pulse), inner (pulse), our (pulse). Workshop de três dias para o desenvolvimento das ferramentas e metodologia SPIL.

3. Call2Action: período de acompanhamento/coaching individual no quotidiano profissional para a implementação do programa.

Trata-se de um programa diferenciador, com metodologia Inside-Out e ferramentas específicas num processo contínuo de reflexão-ação em que se trabalha a esfera de ação do líder. É desenvolvido com base na autenticidade e nas vulnerabilidades, porque estas são encaradas como o ponto de partida para o processo de autoconsciência e auto desenvolvimento. No SPIL as vulnerabilidades são tratadas com a naturalidade necessária a serem expostas e resolvidas, de forma segura e com o compromisso de todos os envolvidos num ambiente de confiança.

SPIL: O programa em três etapas

Os resultados

Através da acção do SPIL Leader, acreditamos que:

1. Vai promover um maior engagement da equipa.

2. Foco no autodesenvolvimento individual permanente, transformando o processo de avaliação mais ágil e eficaz.

3. Desenvolvimento de uma cultura de partilha, consciencialização e responsabilização de todos nos objetivos comuns através do “contágio” na sua esfera de ação.

4. Maior “elasticidade” do papel do líder na gestão relacional e emocional nos vários níveis da organização.

5. Promoção de práticas inovadoras adequadas às diferentes realidades organizacionais, baseadas numa cultura de autenticidade através de uma metodologia consistente.