A RELEVÂNCIA DO “PROPÓSITO” NA ESFERA PROFISSIONAL

PORQUE É CADA VEZ MAIS NECESSÁRIA A SUA DEFINIÇÃO E O SEU IMPACTO.

So, meaning is the new Money?

Para muitos, cujo mindset está ajustado ao quotidiano atual e aos desafios que este nos oferece, esta expressão já faz parte da sua forma de agir. Seria até mesmo impensável que todos os dias ao acordar, o propósito e significado que dá ao que se faz não fosse a principal motivação para o foco e energia necessária ao trabalho.

Contudo, o conhecimento da realidade leva-nos para uma outra verdade que se prende mais com o resultado final do que se faz, do que propriamente o significado ou propósito que se atribui ao ato em si. Grosso modo, o pensar nestas questões leva-nos muitas vezes a iniciar uma viagem atribulada emocionalmente pelas nossas experiências passadas, quer profissionais, quer pessoais que de forma inusitada tendemos a fazer vista grossa e encarar como fases ultrapassadas e resolvidas. Na verdade, o exercício de revisitar todo este percurso é o primeiro passo para compreendermos os mecanismos de motivação que utilizamos para as diversas funções e papeis que temos que desempenhar no dia-a-dia. Trata-se de algo que é cada vez mais necessário, porque o valor acrescentado de cada individuo nas diferentes esferas da vida está precisamente associado ao significado que este imprime à sua ação e que pode fazer a diferença numa sociedade que permanentemente emite sinais contraditórios de padrões de ação e toda uma volatilidade que passou a ser a normalidade a todos os níveis.

Então, porque é necessário encontrar o significado ou propósito para o que fazemos? Porque é que as empresas procuram pessoas com uma consciência clara do seu propósito? Porque é que as empresas na sua comunicação falam tanto do seu propósito? Porque tantos líderes, especialistas, influencers se focam neste tema? As razões são muitas, mas na verdade resumem-se em ideias chave que são os pilares do sucesso que muitos começam a perceber serem essenciais nas estratégias que devem adotar.

A capacidade de influência e impacto está diretamente associada à componente emocional da comunicação e interação a vários níveis, ao transmitir o propósito do que fazemos, estamos também a dizer o que nos motiva e o que sentimos com as nossas ações. Esta ação, liga-nos aos outros quer direta ou indiretamente porque se reconhecem nessas mesmas motivações ou sentimentos; assim é despoletado um processo de filiação quase natural.

Numa realidade em que muitas empresas oferecem os mesmos produtos ou serviços, a decisão de escolha já não se prende com vantagens ou benefícios que cada uma pode oferecer, mas sim com valores que fazem parte do propósito destas. Uma consciência global nos propósitos sociais, ecológicos e identitários são no momento o mais valorizado na escolha dos indivíduos.

Já existe uma consciência efetiva que o processo de autenticidade de cada um passa necessariamente pelo desvendar do seu propósito. Neste momento, a autenticidade é um dos fatores primordiais na liderança, logo compreender o propósito enquanto líder é um sinal de inteligência social e um garante de impacto nas equipas com que se trabalha.

O sentimento de uma cultura comum de partilha e compromisso, só pode ser construído quando aqueles que a constituem conhecem o seu propósito e o partilham. Hoje, mais do que nunca, existe uma necessidade de pertença a algo que nos identifiquemos, que nos represente, seja na esfera social ou profissional.

Nas organizações, quando os colaboradores têm uma consciência efetiva do seu propósito e este está alinhado com o da organização, o efeito deengagement e contágio motivacional é efetivo, garantindo um processo fluido de trabalho e cumprimento de objetivos, sem ambientes tóxicos ou disfuncionais.

Por último, poderei afirmar que o propósito está diretamente ligado aos valores que pautam a nossa vida em cada momento. Sendo um processo experiencial e de descoberta, também o propósito vai sendo compreendido e assumido por cada um, momento a momento, podendo mudar mediante diferentes experiências e realidades. Contudo, é precisamente este processo que nospermite estar devidamente “sintonizados” com a realidade e conseguir sentirmo-nos parte da mesma, contribuindo, e sentindo que fazemos a diferença.

O valor percebido do propósito é cada vez mais claro para todos, mas nem todas as organizações estão preparadas para este processo. O propósito não é um chavão interessante que pode ser trabalhado num workshop e que não tendo fit com a organização, cai no esquecimento. O propósito está diretamente associado ao desenvolvimento da organização e dos seus colaboradores. O propósito permite a adaptação em cada momento a uma realidade em permanente transformação. O propósito é a diferença que demonstra claramente a que velocidade segue a organização rumo ao futuro.

Numa perspetiva pessoal, o propósito permite-me diariamente encontrar a energia e motivação para o meu desempenho diário, mesmo naqueles momentos em que a perceção da realidade é negativa, ou não corresponde às expetativas desejadas. Sem propósito muito dificilmente conseguiria traçar o meu mapa mental rumo a uma realização pessoal e profissional necessária à minha existência.

Rui Carvalho
Manager SDO Consulting